19 de fevereiro de 2018
Arquitetura de Buenos Aires: 5 lugares que todo arquiteto precisa conhecer

A arquitetura de Buenos Aires é um colírio para os olhos, tanto para os que entendem do assunto quanto para os leigos. A capital argentina é cheia de história, mas está longe de estar parado no tempo. A atmosfera portenha mistura o velho com o novo em perfeita harmonia, criando uma das cidades mais bonitas do mundo.

Não à toa, colocamos Buenos Aires na nossa lista de lugares que todo arquiteto deveria conhecer, na qual falamos do lendário Edifício Kavanagh – famoso arranha-céu e dono de uma memorável história de (des)amor.  

Hoje, vamos explorar ainda mais as calles da cidade e trazer para vocês lugares incríveis que merecem a sua visita!

Casa de Estudios para Artistas

Foto: ArchDaily

Para começarmos, um clássico de 1938: a Casa de Estudios Para Artistas é um edifício localizado no bairro Retiro e foi projetada para abrigar diversos artistas que pudessem ali instalar seus estúdios para criar relações entre a classe artística argentina.

O edifício é o primeiro marco do Grupo Austral. O grupo de arquitetos seguia os conceitos de Le Corbusier e representa um movimento vanguardista do país, que rompeu barreiras que foram construídas por seus antecessores. A assinatura do projeto da Casa fica por conta dos arquitetos e membros do grupo Antoni Bonet i Castellana, Horacio Vera Ramos e Abel López Chas.

A estrutura conta com sete apartamentos distribuídos em dois pisos e um terraço. No andar térreo, há espaço para quatro lojas comerciais.

Foto: ArchDaily

Uma das características que mais chama a atenção no prédio de esquina é seu para-sol metálico em curva com mecanismo elétrico. Os tijolos de vidro nas laterais dão um charme extra e contribuem para a iluminação natural.

Desde 2002, a Casa de Estudios para Artistas está catalogada com “nível de proteção estrutural” no Código de Planejamento Urbano de Buenos Aires. Em 2008, a edificação foi declarada como de “Interesse Histórico Arquitetônico Nacional” pelo Congresso da Nação.

Casa Curutchet

Foto: Buenos Aires Connect

E, já que mencionamos a influência de Le Corbusier na construção da Casa de Estudios para Artistas, não podemos deixar de fora da lista sua única obra na América Latina. A Casa Curutchet é um clássico construído em 1953, considerada um monumento histórico nacional, além de ter sido classificada pela Unesco como Patrimônio Mundial.

Charles Le Corbusier é um dos precursores do modernismo da arquitetura, então visitar o prédio é uma verdadeira aula! O projeto conta com cinco pontos formulados pelo arquiteto: planta livre, fachada livre, janela em fita, construção sobre pilotis e teto jardim.

Embora seja responsável pelo projeto, Le Corbusier não foi a Buenos Aires para sua construção, designando o jovem Amancio Williams como supervisor do projeto – um arquiteto argentino que acabou influenciando o desenho final da obra. Williams contribuiu com a escada em 180º e para que esta fosse construída seguindo o sistema de medidas do mestre, chamado de “o Modulor”, ao invés do padrão argentino.

A casa foi projetada para servir como escritório e residência, então divide-se em dois volumes articulados ao redor de um pátio central e de uma rampa de acesso. Atualmente, o espaço é sede do CAPBA – Colégio de Arquitetos da Província de Buenos Aires.

Enquanto você programa a sua viagem a Buenos Aires, é possível sentir um gostinho do que é a Casa Curutchet através do tour virtual no ArchDaily.

Foto: ArchDaily

Palacio Barolo

Com construção finalizada em 1923, o Palacio Barolo foi encomendado ao arquiteto Mario Palanti por Luis Barolo e abriga inúmeras referências ao clássico literário “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri.

A divisão geral do palácio é feita em três partes, da mesma forma que “A Divina Comédia” é separada: inferno, purgatório e paraíso. O prédio tem 100 metros de altura – o número de cantos na obra de Alighieri. O número de andares é igual ao número de estrofes dos versos: 22. Até 1935, o Palacio Barolo foi considerado o prédio mais alto da Argentina, perdendo, posteriormente, o posto para o Edifício Kavanagh.

As relações não param por aí; As 9 abóbadas representam as 9 etapas de iniciação e as 9 hierarquias infernais. Já o farol, composto por 300 mil velas – que pode ser visto do Uruguai – representa os 9 coros angelicais. Essa estrutura está sobre a constelação da Cruz do Sul e, nos primeiros dias de junho, às 19h45, ela se alinha ao eixo da edificação.

Detalhes como esses enriquecem o projeto e tornam uma visita a ele ainda mais incrível. Em 1997, o Palacio Barolo foi declarado “Monumento Histórico” e em sua estrutura funcionam, atualmente, diversos escritórios.

Biblioteca Nacional Mariano Moreno

Foto: ArchDaily

No coração da Recoleta está um dos marcos da arquitetura moderna argentina. A conturbada construção foi inaugurada em 1992, porém, seu projeto foi vencedor de um concurso nacional encerrado em 1962. O edifício foi assinado pelos arquitetos Clorindo Testa, Francisco Bullrich e Alicia Cazzaniga.

Incomum, a Biblioteca Nacional é um dos ícones da arquitetura mundial graças à sua distribuição, que oferece uma sala de leitura com vista panorâmica de Buenos Aires.

O depósito de livros não está nas paredes da construção, mas sim distribuído entre seus três subsolos. O piso térreo abriga os periódicos e a sala de publicações antigas, além de dar acesso à biblioteca e da praça pública.

No 1º andar, estão o auditório, a sala de exposições e o bar; O 2º abriga áreas administrativas; No 3º estão a audioteca, a mediateca e outra sala de exposições; no 4º andar, o arquivo de manuscritos e materiais inéditos.

A partir do 5º andar, estão as salas de leitura; No 6º, a sala de leitura livre permite apreciar um bom livro com a paisagem da capital argentina a seus pés. No 7º andar, está a sala de máquinas; e, por fim, o terraço abriga elementos funcionais da edificação.

Puente de la Mujer

Um símbolo de toda a modernidade e inovação de Buenos Aires! Inaugurada em 2001, a Puente de la Mujer é um dos principais cartões postais da capital portenha.

O projeto é assinado pelo arquiteto e engenheiro Santiago Calatrava, tendo sido apresentado e doado pelo empresário Alberto González. A inspiração de Calatrava vem da própria Buenos Aires e, com suas características modernistas e repletas de plasticidade, representa um casal dançando tango.

A ponte permite não somente a circulação de pedestres, como também a de embarcações, já que sua estrutura tem rotação de 90º. Na região de Porto Madero, a construção une as praças e renova a atmosfera da área portuária.

Em concreto, a estrutura se sustenta em três pilares compostos por três seções: duas fixadas ao dique e uma móvel, girando sobre um pilar de concreto armado. A estrutura móvel é autoportante e composta de concreto e aço, com um suporte de cabos também de aço.

Gostou do que viu?! A capital argentina está esperando pela sua visita para apreciar cada pedacinho de sua arquitetura. Há, inclusive, tours com foco na arquitetura da cidade!

Conte para a gente quais lugares do mundo você não vê a hora de explorar!

Voltar
Vamos conversar?
Entre em contato conosco através do formulário abaixo ou pelo e-mail. Responderemos o mais breve possível.

quero que entrem em contato comigo através do whatsapp